terça-feira, maio 09, 2006

17

Resignação ao ódio e ao amor. Irei sem dúvida - adeus a neurastenia nesse ponto - abdicar desses meus preceitos de vida que tanto fiz real e sério. Minha vida é uma grande e pequena desgraça engraçada. Sorrio tanto e tenho tantas belezas ao meu lado que perco o outro lado hediondo, onde se arrastam tanta bestialidade e acabo por não chorar. O velório de minhas crenças tem um grande sacerdote ( ou seria sacerdotiza?)...Desisti de um caminho ordinário, humano, pacato e míope o qual iria seguir. Agora, sou Monstro, uma agremiação de conhecimentos pronto a destruição e autodestruição. O pequeno feto em gestação que fui um dia deveria ter visto o cordão umbilical como instrumento de tortura e todo útero um prenúncio da grande prisão aqui fora. Já que nasci, feliz e orgulhoso, agora vive em mim uma dor que impulsionará todo a destruição de vários paradigmas nos curtos anos de vida que me restam. Olharei para "sim" e olharei para o "não". Ambos prenunciam a minha e sua vidamorte. "Adeus" é a primeira palavra a ser destruída.

Nenhum comentário: