quarta-feira, maio 24, 2006

40

A surdez. Vi por duas décadas a metamorfose de um corpo estranho que me fez crer em espaço e tempo. Todas as sinapses juntas não eram mais do que costumes e reprises. A memória se encarregou de entreter o animal para que ele não fugisse. Logo, sou eu recuperado pela impossibilidade cientifica do extra-físico. Não vi Deus algum por lá. Vi-me. E não gostei do que vi e desse desgosto, o repreendi e detive o alienígena. Deixaram-no surdo, fizeram-no de marionete e de lucro. Matou e morreu várias vezes pelas mentiras que o mundo oferta sob o preço de verdade. Acreditei no seu desalento para tratá-lo cá novamente nesta dimensão e agora lamento se impus condições e apenas repeti o modelo.

Nenhum comentário: