sábado, maio 27, 2006

44

Eu. Por tantas trilhas e caminhos para o quarto eu levantei meu pés rumo. Viajei cada segundo com a liberdade de quem não sabe o que é liberdade mas sabe. "Originei" meu ser mesmo sendo gerado por outros dois e vanglorio meu poder de criação além da 'biologia'. Sou quem guia o dia e reclama da noite e vice-versa. Reverto a ordem e assim mesmo faz sentido. Homens como eu o mundo novo ainda não conhece ou simplesmente rejeita. Sou uma reprise aprimorada de quem já revigorou o mundo. Destruiu e criou. Um ser com ilusão tal está fora de sua sanidade ou está além da mediocridade. E estou sem dúvida além do senso comum. Inatingível pelo ordinário. Inusitado no espaço, tempo e imaginação. Neofilia substitui a neofobia. Recorro ao poder. Sei o que é tê-lo, e assim não não o quero. Vivo a espírito que me compõe e sorrio. Mas de onde vem tamanha luz? Veio de sempre...só ficou escamoteada pelo tempo. Sou uma dádiva do tempo.

Nenhum comentário: