quinta-feira, junho 01, 2006

49

Vapores. De acordo com as nuvens dessa manhã, o mistério da vida deixou um presente e anunciou um futuro promissor. Reservei um pouco de sonhos para depois e disse em alto e bom som para um velho 'eu' que reclamou presença na alegoria de hoje: não cederei as certezas de ontem só porque as conheço. Presumo que não verei com os mesmos olhos os meus próprios olhos. Qual a densidade de paz no colchão que ampara meu sono nessa noite tão vazia? Recorro a pouca luz de uma iluminária e um pouco de memórias...Fecharei os olhos e adormecerei para que amanhã chegue logo. Não me suporto reclamando do agora. Devo tanta gratidão aos bons ventos que me trouxeram esses tempos agradaveis...Devo minhas várias vidas ao agora.

Nenhum comentário: