terça-feira, agosto 29, 2006

95

A minha fidelidade ao Silêncio. Se respeito algo nessa vida é o Silêncio...Nunca me incomodou, embora já tenha me dado medo - que nada mais foi do que um presente. Foi o responsável pelo pouco que sei, o meu mestre mais sábio e prudente. Respondeu sutilmente com caos e serenidade. Não pediu licença mas também não atrapalhou. Cúmplice dos momentos de beleza e tristeza, o Silêncio disse muito...quase não disse nada. Quando não queria mais ouvir nada de ninguém, apenas a "ausência de som" fez minha vontade...

Um dia ela se calou e soltou minha mão. Desde aquele momento o Silêncio me acompanhou.

Nessa vida, essa que vivo agora - na falta de memória de outras que possam ter acontecido e de outras que eventualmente venham acontecer - pude muito falar, mas preferi copiar o silêncio...um plágio mal-feito que me fez parecer - aos outros olhos - "bom"...

Algumas pessoas não suportaram o silêncio. Algumas caminharam sozinhas buscando o silêncio...e encontraram algo parecido tido como "solidão": uma condição humana favorável...pois até o silêncio pede para ser quebrado.

Você poderia ter me falado...mas preferiu o silêncio muitas vezes...

Deixou que o silêncio me mostrasse...

Isso.

2 comentários:

princesa disse...

Também gosto do silêncio, sobretudo em sala de aula! Bj

Corneteiro das Almas Desgarradas disse...

Grande Thiago, para bom entendedor, meia palavra ba