quarta-feira, janeiro 17, 2007

131

Meu grito tem estilhaços de explosão em Bagdá.

Para saber por onde anda minha cabeça, precisa sentir
meu grito.
Meu grito tem estilhaços de explosão em Bagdá.
Para me acompanhar você precisa saber da solidão.
Divido todas as noites e dias com ela.
Se pensar que vou por onde pensa...desista de ir. Já estive lá.
Desista do chão e das pegadas...não respondo mais a gravidade.
Acordo sem ter dormido e faz muito tempo que não sonho o mesmo sonho.
Resisti a vontade de ser e ter, acolhi nada no lugar de tudo!
Não rimo em qualquer verso para não ser lembrado no seguinte.
Não comparo mais duas coisas como antes...prefiro três.
Já fui embora, cheguei e errei...já sei do gosto do medo de perder
Dancei e copulei com a morte e nasci novamente para saber onde anda minha cabeça
Eu sei...não lhe beijei bem...mas não fui eu...foi você que não soube/sabe/saberá o mínimo de inventar e "amar"
Quanto mais alto vôo, menos me enxergam...se pensar bem, a razão cega.
Se sentir bem...não há nomes.
Se entender isso...volte a sentir, porque não sentiu direito!


Nenhum comentário: