segunda-feira, fevereiro 19, 2007

141

LEGOLÂNDIA.



Nas profundezas encontro minhas vontades incontroláveis de dizer coisas sobre o tempo e o sexo. O porquê dos muitos olhares de dúvida que lancei ao mundo serão expostos nos próximos tempos. Esse "esforço de guerra"´é para não permitir que meus sentimentos tomem conta de mim em dias de sol quente...Desejo temer mais a vida e contribuir com meu dom de destruição, pois há gente "boa" demais criando. Vou ser antítese da(o) mocinha(o): "Criarei" destruição e desiquilibrarei as várias ordens. O intuito não é confundir, é arruinar mesmo. É demolir a LEGOLÂNDIA. Cansei dessa rotina idiota que adoece até os curandeiros. Esse meu dia bobo de rapaz direito que me faz o bom irmão e esse sorriso sem graça que dá garantias não sei de que para te deixar com a impressão de felicidade. Cortarei a luz da sua casa, essa cheia de móveis antigos e gente moderna. Arranharei minhas unhas na parede de cada sala de aula ou sanatório. É esse cataclisma cerebral que joga minhas sinapses contra o cotidiano imbecil e a favor da queda dos meus neurônios e cabelos. Minha fartura...de neuroses. As angústias várias e o egoísmo inevitável de quem acha que pode alguma coisa. Meus desejos infinitos vão consumir seus recursos escassos, LEGOLÂNDIA!

Nenhum comentário: