terça-feira, fevereiro 27, 2007

142

Desencanto.

I
Em determinado momento pensei em ser "simples" e agir como um "ser" simples. Viver no meio. Sofrer só de vez em quando e me permitir chorar de alegria. Quem me dera o ritual de um dia comum e ordinário, sem relógio de preferência. Ouvidos para poucas brisas, olhos meio abertos, sorriso pequeno, pele arrepiada...nada demais.

II
Ontem me empanturrei de sonhos, venturas, esperanças...hoje é tão vazio.
Ainda anteontem andava com prazer e corria pelas manhãs. Hoje cedo estava obeso e falando baixo.
"Para o ano, todas essas sementes florescerão!" disse no ano passado. Agora pouco...silêncio.
Anos atrás reconhecia a paz para alguns fins. Há minutos declarei guerra as minhas veias.
Há tempos pintava o que achava bonito. Agora rabisco palavras.
Alegrava. Entristeço.
Desencanto.

III
Ouviste um rumor que veio do chão de que há pouco o céu caiu?
Lembraste das risadas infantis de um futuro velho cisudo?
Caíste na realidade e horas depois acordou em um caixão lacrado de decepção à 26 palmos de profundidade?
Sentiste o toque quente da velha saudade que deixa lágrimas no ar?

IV
Lá se foram minhas esperanças e levaram consigo todos sorrisos meus.
Fiquei sim com meu desencanto pela academia e bancos de praça.
Deixei de acreditar em você e agora em mim...que fim levamos, enfim?
Levaram minhas energias e ainda tenho que responder por tanta desgraça.

Lá se foram minhas bobeiras e loucuras de um amor infinito
Sobraram Zetrons e vodka barata
Sobraram dúvidas e erros
Deixaram "eu" sem vontade até de maldade.

Reconhe-me agora, amante da morte?
Faz idéia do que é não ser mais fiel a vida?
Quero partir, quero voltar e não sabes qual é meu lar?

Reconheço...ainda és um suicida.
Não sabe se quer ir para algum canto
Ou se destrói em desencanto.


2 comentários:

franco disse...

belo, e triste e deprimido, e borges, e maluco...
"cuidado companheiro, a vida é uma só. duas mesmo que é bom niguém vai me dizer que tem sem provar muito bem provado com certidão passada em cartório do céu e assinado embaixo: Deus. e com firma reconhecida. a vida é a arte do encontro embora haja tanto desencontro pela vida. há sempre uma mulher a sua espera com os olhos cheios de carinho e as mãos cheias de perdão." vininha... o poetinha bem de vida

carol disse...

Adorei seus textos, moço...volto por aí, qualquer tempo desses. bjos