sábado, outubro 27, 2007

154

O estado de exceção de todos os dias. Para estar a seu lado, o veneno que que mora no meu sangue e corre do coração para a cabeça não pode transbordar. Para não te incomodar, tomo do meu próprio excesso de veneno todos os dias e tudo isso é para viver bem com os 'meus' vizinhos. É tudo bem combinado e claro dentro do covil dos parvos.
É um estado de exceção, meu bem.
Todos os dias engulo muitas doses de ódio para que este não polua o meio ambiente. É minha parte para não destruir a natureza de ninguém. Ser o que eu sinto se apresentaria como um dano irreparável a vida de dezenas de pessoas.
Entretanto, eu não finjo ser outra coisa.
Apenas me calo e saboreio - como um bom egoísta - minha poção do mal, o meu veneno.

sábado, outubro 13, 2007

153

pequena história de um eu. como se fosse uma receita ou um obtuário, um tapete ou um filme, registrarei o que se tem por thiago assim: aos 3 assistia e ria de Carlitos na madrugada da rede globo. com 6 anos incendiava um apartamento. com 9 lia o guia de vídeos da abril. com 6 dava o primeiro beijo. com 14 saía de casa. com 15 ordenhava cabras e colhia café. aos 17 sentia dores no estômago e lia nietzsche. com 19 programava em pascal. com 21 precisava chorar. com 22 fazia sexo por amor. aos 23 prensava tatuagens em meus braços. com 25 estava na presidência da república. aos 26 reconheci o amor. no 27 eu escrevo 153.