sábado, outubro 27, 2007

154

O estado de exceção de todos os dias. Para estar a seu lado, o veneno que que mora no meu sangue e corre do coração para a cabeça não pode transbordar. Para não te incomodar, tomo do meu próprio excesso de veneno todos os dias e tudo isso é para viver bem com os 'meus' vizinhos. É tudo bem combinado e claro dentro do covil dos parvos.
É um estado de exceção, meu bem.
Todos os dias engulo muitas doses de ódio para que este não polua o meio ambiente. É minha parte para não destruir a natureza de ninguém. Ser o que eu sinto se apresentaria como um dano irreparável a vida de dezenas de pessoas.
Entretanto, eu não finjo ser outra coisa.
Apenas me calo e saboreio - como um bom egoísta - minha poção do mal, o meu veneno.

3 comentários:

Anônimo disse...

doidêra

Anônimo disse...

veneno-oo-oo-oso... vê se secreta algum bálsamo secreto, prá variar, e aliviar todas as dores do mundo...

Anônimo disse...

não se leve tão a sério, meu bem.
a vida é curta.