terça-feira, janeiro 01, 2008

165

Por que não escrevo para Ela? Nas brigas elétricas do meu pensar, ajo estranhamente quando retribuo o carinho Dela. Nos lampejos de humor, sorrio e choro o nome Dela. Quem vê pensa que estou aflito, sem jeito, desarrumado, maltrapilho, encasquetado, negligente, entediado, aloprado...um felizardo do acaso. De fato o amor po Ela é caso sério, no entanto, traio minha querida com essa dama incontrolável chamada esperança. Uma paixão indecente e promíscua com essa velha produz algo que se comemora quando ela nasce e chora-se quando morre. Fácil como dizer "eu te amo" é sentir que gosto de você. Sucos desses dias são um tanto amargos e mal-cheirosos e mesmo assim há um conflito marcado sem hora para acontecer na minha decisão chamada "sentir": olho nos seus olhos, sem o reconhecimento do mundo, e digo que não vivo sem o seu modo único de me amar sem falar de amor.

Nenhum comentário: