sexta-feira, março 28, 2008

178

Alguns minutos para o fim do tempo. De onde vem tem tanta vontade de amar o que não conhece tão bem? Quem envia o fim quando o começo não decidiu começar? Que sentido faz um minuto se a senhorita não participa de um segundo? Sou pura energia. Vivo sem viver. Já morri em vários amores e vivo no seu. Lanço a um dia no futuro contra todos do passado. Sou descanso em teus braços. Sou amante da sua dúvida e estranho nas palavras. Reconheço na senhorita um sentido. Um caminho com mais certezas. Um sentimento vivo. Refeito e iluminado por amor. Como não se ama há muito tempo.

Nenhum comentário: