domingo, fevereiro 06, 2011

226

Querida (ponto).

Há muito tempo tenho que lhe falar, de tudo um pouco a dizer...
Há romantismo e há realidade, um bocado de qualquer um seria bem-vindo
Pra essa vontade em te querer bem e feliz, de um jeito egoísta permitir
Um beijo em alma tão querida e em vida tão discreta

Viajaria pra qualquer canto, pra lá e pra cá
Pra te ver dirigir, pra te ver saborear, bem aqui ou acolá...
Querida, iria pra onde estivesse, só pra ali vivenciar
Sua ausência tão presente....

Provavelmente, por azar, tão somente
Um seu e uma minha vivam por viver,
Nosso respeito a nosso despeito,
Sem saber que uma felicidade, vive viva a nós, tão docilmente.

Eu exagero agora, peco em algum paraíso,
Não temo inimigo, nem vergonha sequer,
Pra viver contigo, duas horas e uma vida sequer,
Há algo além do perigo e compromisso,
Há algo lindo, há um prazer sem dizer...

Minha querida, sem poema
Sem música a cantarolar,
Espero muito o seu afago,
Abraço de Beethoven,
Beijo luar de uma dama,
Seu corpo nu um dia no azul,
Uma serenata minha , sem medo de luar.

Um comentário:

Anônimo disse...

não tema