domingo, outubro 30, 2011

227

Imagine alguém que cai e se levanta todos os dias. Alguém que parte e volta. Alguém que se parte e se monta. Alguém que não sabe dançar mas prefere dançar. Imagine ninguém: um alguém que foi pouco ouvido. Um alguém com história e caos. Alguém escrito com sangue. Carregado nas tintas e com asas. Um alguém que acredita - de fato - ser ninguém.

Nenhum comentário: